.

Ficha Técnica

ARQUITETURA: ELIZA SCHUCHOVSKI INTERIORES: ELIZA SCHUCHOVSKI EQUIPE: ISABELLA BORSATO, JUIANA FREITAS, NATHÁLIA CUNHA, JULIA SAMPAIO, ALICE BIGATON, ANA JULIA LIMA, LUISA CURVO INÍCIO: 2020 AREA CONSTRUÍDA: 1200m² LOCALIZAÇÃO: CURITIBA – PR

 

LOCALIZAÇÃO O partido projetual da Casa Guaimbê busca potencializar as vistas para o jardim privativo assim como para a cidade. O terreno se situa em grande aclive, contando com vizinhos em ambos os lados. O caráter ortogonal buscou orientar as aberturas à vista principal, garantindo, também, privacidade para a casa. Conseguimos, assim, criar uma grande área livre para jardim e piscina, de modo a aproveitar a orientação mais ensolarada possível.
TÉRREO A integração com o lugar e a análise da topografia condicionaram a criação do volume ortogonal em L que constitui a volumetria principal da residência. Priorizando o estabelecimento de uma relação tectônica com o lugar, o eixo criado a partir da fachada principal percorre os ambientes da cozinha, sala de jantar, estar e home theater. Com um extenso programa de áreas de lazer, a volumetria principal se expande para dentro do terreno e setoriza o espaço gourmet, uma demanda especial dos clientes, que percorre o jardim e piscina. Alinhado com o vazio da piscina está um pequeno pavilhão da academia privativa dos moradores. Planos de vidro deslizantes e transparentes emoldurados por uma esquadria minimalista contribuem para ressignificar continuamente os conceitos de “dentro” e “fora”. Em particular, a área social da residência oferece uma espetacular vista do jardim.
SEGUNDO PAVIMENTO A distribuição do fluxo da área social e área íntima está disposta por uma escada escultórica, que permite o acesso do volume superior ao hall inferior. No plano superior, foram alocadas áreas íntimas do programa: quarto de hóspedes e cinema de um lado e conectados por uma passarela que percorre o vazio do pavimento térreo, as suítes do filho e suíte master. Um dos pontos de destaque é o dramático balanço criado pelo volume onde está localizada a suíte principal da residência, que avança sobre o terreno e é acentuado pelo prolongamento incisivo dos beirais. Tal distribuição programática buscou conferir maior liberdade ao andar principal da residência, de modo que esses ambientes não estivessem diretamente ligados à área social da casa ou particular da família.
APARÊNCIA Destaca-se o refinado tratamento plástico conferido aos painéis que revestem quase todas os planos de vidros do segundo pavimento. Musharabis revestem alguns dos planos de vidros, moldados por uma malha com desenho modular, e funcionam como filtros de luz oferecendo privacidade para área íntima. Tal solução permite o adequado controle da iluminação natural, além de propiciar dinamismo, versatilidade e singularidade à composição da fachada. O mármore travertino silver e forro e painéis de madeira freijó foram os materiais base para o projeto, viabilizando uma paleta única, que confere unidade ao projeto. A madeira assume protagonismo para o desenvolvimento do projeto. Propiciando a integração das áreas externas e internas, o forro cruza os planos de vidro revestindo também as abas. Para criar um contraponto de acabamentos, o piso da área íntima foi executado em tauari enquanto a marcenaria, forro e ripados foram desenhados em freijó. A área em torno da piscina ganhou uma paginação de placas cimentícias entre espaços de grama.